domingo, 29 de junho de 2014

Avé, César!! Bravo, Júlio César.


No futebol uma das posições mais injustiçadas é a de goleiro. Este que mal é lembrado - já que os grandes craques que lembramos são aqueles que encantam na linha -, pode ser santo ou vilão, basta uma fração de segundos para definir um lance, e com ele, definir uma vida e encerrar carreira...

Sempre gostei dos goleiros, e desde que me entendo por gente, brigo para nos babas ficar no gol. E assim, quando assisto uma partida de futebol, vou logo perguntando quem é o goleiro? E foi nesse interesse pelos arqueiros que nos anos 2000, vi surgir no Flamengo - meu time de coração -, um grande goleiro, o Júlio César. Naqueles tempos presenciei o Júlio fazendo verdadeiros milagres que impediram a nossa queda para a segundona e o levaram a jogar na Europa.

Na Europa, ele continuou sendo um dos grandes e logo se tornou o melhor do mundo em sua posição, alcunha dada pela grande mídia e internalizada por milhões de torcedores. E foi assim que ele chegou a Copa de 2010. Contudo, o mesmo futebol que consagra é aquele que pune e logo esquece. Assim, bastou um erro e uma eliminação, para que nosso herói de hoje fosse excretado e transformado em um Judas.

O Júlio aceitou o papel de vilão e pediu uma chance para dar a volta por cima. Sofreu, trabalhou, se preparou e ganhou a chance.. que hoje possibilitou que com a cabeça erguida, ele pudesse ser saudado e aclamado por todos - os que sempre acreditaram em sua redenção e por aqueles corneteiros que quase sepultou uma carreira vitoriosa.

Obrigado Júlio, sempre confiei em ti e vou continuar confiando. Para mim, você é um dos maiores goleiros que o Brasil já teve e quem sabe, jogando novamente no meu mengo, pós copa.
Sempre gostei dos goleiros, e desde que me entendo por gente, brigo para nos babas ficar no gol. E assim, quando assisto uma partida de futebol, vou logo perguntando quem é o goleiro? E foi nesse interesse pelos arqueiros que nos anos 2000, vi surgir no Flamengo - meu time de coração -, um grande goleiro, o Júlio César. Naqueles tempos presenciei o Júlio fazendo verdadeiros milagres que impediram a nossa queda para a segundona e o levaram a jogar na Europa.
Na Europa, ele continuou sendo um dos grandes e logo se tornou o melhor do mundo em sua posição, alcunha dada pela grande mídia e internalizada por milhões de torcedores. E foi assim que ele chegou a Copa de 2010. Contudo, o mesmo futebol que consagra é aquele que pune e logo esquece. Assim, bastou um erro e uma eliminação, para que nosso herói de hoje fosse excretado e transformado em um Judas.
O Júlio aceitou o papel de vilão e pediu uma chance para dar a volta por cima. Sofreu, trabalhou, se preparou e ganhou a chance.. que hoje possibilitou que com a cabeça erguida, ele pudesse ser saudado e aclamado por todos - os que sempre acreditaram em sua redenção e por aqueles corneteiros que quase sepultou uma carreira vitoriosa.
Obrigado Júlio, sempre confiei em ti e vou continuar confiando. Para mim, você é um dos maiores goleiros que o Brasil já teve e quem sabe, jogando novamente no meu mengo, pós copa.

domingo, 18 de maio de 2014

O fim, as lembranças e as promessas

Prefiro o término para me lembrar o que foi, do que os fantasmas para me atormentar com o que poderia ter sido.

quarta-feira, 5 de março de 2014

A Arte e a Vida, Caminhos Para a Felicidade

Os filmes e os livros são como a vida. Podemos ficar tristes por algum tempo, por achar que não merecemos aquilo que nos foi dado/ que nos acontece. Mas, no fim, percebemos que esses momentos nos ajudam a reparar as verdadeiras alegrias que nós recebemos.

domingo, 2 de março de 2014

Quem nasceu para ser constelação, não merece ser estrela


Ontem, hoje ou daqui a dois anos... quem mandou ser tão especial a ponto de se dar ao luxo de poder escolher quando comemorar o próprio aniversário. Queria poder estar por perto para lhe dar um abraço e lhe desejar tudo de melhor em sua vida, pois é isso que você oferece a cada um de nós. Como não dá para estar ai com você, lhe brindo com esse pequeno texto, que tento escrever desde dezembro, como uma homenagem a minha adorada amiga, que sempre acreditou em mim e me dá esperança para continuar buscando coisas melhores a cada dia. Espero que você goste.

"Um diamante bruto deve ser lapidado várias vezes até que se transforme numa minúscula joia."

Minha querida amiga, Su...

Você apareceu de forma tímida, afinal ouvi seu nome pela primeira vez numa reunião com Carla. No início causou certo ciúme, pois num instante de delírio imaginei que você seria uma intermediária entre nós, estudantes, e Carla. Logo fui vendo o quanto estava enganado, já que no nosso primeiro contato você foi mostrando suas credenciais me convidando para protestar acerca do acumulo de cargos - no dia eu nem imaginei, mas esse foi o início de uma caminhada marcada pelas lutas do que é certo, do que é justo, pela defesa dos amigos e pelas mudanças, essas que são tão constantes em nossas vidas.
Os dias foram passando e você - uma mulher de sentimentos profundos, prestativa e com seu jeito espontâneo de ser - foi encantando, convencendo e conquistando. Se tornando indispensável na vida de muitos, e como eu não podia ficar de fora, tive minha vida abençoada com/pela sua presença.
Entre muitas benções que eu pude compartilhar com você, sua amizade e sua confiança foram fundamentais. Para que isso fosse possível me tornei uma espécie de voluntário na direção, e foi onde compartilhamos nossas histórias, nossos problemas, risadas e apoio mútuo. Lá conheci um pouco da sua itinerância educativa e de sua trajetória de vida, história que só evidência uma de suas diversas qualidades - a coragem. O que me fez perguntar, como não lhe tomar de exemplo.
Fui me habituando e me apegando a você, mas quem disse que tudo foram flores logo de cara? Descobri o que é conviver na sua lista negra, só por causa de uns aninhos a mais. Tive que pagar os maiores micos que se possa imaginar, tudo pra voltar as boas graças de novo. E de pensar que essa proibição vem da pessoa mais festeira que eu conheço, afinal de formatura a chá de fraldas, tudo é motivo para uma grande festa.Ah, e por falar em festa, ninguém melhor que você para organizá-las. Lembra do café da manhã, onde você mostrou todo seu despreendimento ao sair convidando todo mundo e até emprestando sua mãe para que ela fizesse o melhor cuzcuz de tapioca que já se teve notícias? E do aniversário de Carla, que você contagiou a todos para que a gente pudesse fazer uma grande surpresa? Quando olho para trás e lembro de tudo isso, você me vem a mente como aquela que sabe fazer dos pequenos detalhes, grandes alegrias.
Para não parecer que não existia trabalho, preciso lembrar das inúmeras reuniões - nas quais você me ajudou a entender que a caneta e as palavras podem ser muito mais poderosas do que a guerra, e a perceber como somos poderosos quando nos manifestamos. Ainda nas reuniões sempre aparecia um caso difícil de resolver, e você com seu jeito prático, fazia tudo parecer fácil; sem contar na confiança que você depositava em mim, então se te encanto na maneira de me colocar nos espaços, agradeço a você, por me deixar a vontade para isso. E o que falar dos eventos, que foram tantos: Kizomba, Debates, Posse, Aniversários, Jornada Pedagógica... e nunca deixamos de estar juntos, organizando e participando, de cada um deles.
Ahh, como sou feliz por participar da Jornada Pedagógica. Foi lá que conheci seu lado encantador de educar, mas antes protagonizamos o mico do ano. Lembra que a gente foi de plaqueta (improvisada) na mão esperarmos pela estrela da noite, lá na entrada da uneb - e de pensar que ele já estava no DEDC? Naquele dia você ganhou um grande fã de seu trabalho, porque se a vizinhança cheia de estrelas repete o que todos já sabemos, você usa o que já sabemos para fazer com que a gente faça novas descobertas e assim alcance as estrelas.Essa sua competência e talento natural para trabalhar na área que ama lhe habilitaram para ser aprovada no MPEJA. Lugar que você conquistou por mérito e que me fez vibrar de alegria por essa sua mais nova conquista. Quero estar presente no dia em que você começar a dar aulas na faculdade, e se tornar a estrela no céu do nosso conhecimento. Com certeza passaremos a ter muitos novos profissionais lutando pela valorização e educação de seus alunos.Como tudo na vida, passamos por momentos difíceis. Alguns você tirou logo de letra - lembra do factídico dia da morte do cagado, apesar de trágico, você conseguiu transformar em uma comédia digna dos teatros gregos.. que belo conto essa história daria; outros foram desgastantes - como o processo eleitoral, no qual choramos juntos, brigamos de galera, e persistimos, para no fim sairmos vitoriosos e fortalecidos para os desafios que se apresentaram desde então.Poderia falar de tantas outras histórias, outros momentos e outras muitas qualidades suas, que são tão marcantes, mas dezembro chegou e com ele a possibilidade de um breve até logo. No início fiquei triste porque não queria que você fosse, afinal todas as minhas amizades terminam tendo um prazo de validade (duração do curso, escola, etc) - fiquei com medo de que seria assim contigo também. Foram dias difíceis e tristes, os primeiros do ano. Mas, como bem disse Shakespeare "verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias", assim percebi que continuaríamos mantento contato e com isso consegui processar que essa mudança não seria uma despedida e que iria ser importante para seu futuro, para sua felicidade.
Dessa forma, só quero que você saiba que penso em você, saiba que quero sempre o seu bem, estarei sempre na torcida pelas suas vitórias, suas conquistas e sua felicidade. Aproveite o tempo no Rio para virar flamenguista, não demore a voltar. Você nem imagina a saudade que eu sinto."Se um rei tivesse uma pérola inestimável. Uma joia que amasse acima de tudo. Ele a guardaria num esconderijo. Tirando-a de vista. Temendo que outros a roubassem? Ou a exibiria, orgulhoso, engastada num anel ou numa coroa. De modo que o mundo lhe admirasse a beleza e visse a riqueza que ela trazia à sua vida? Você é a minha pérola inestimável." 

Declaração de Apoio - Eleições da Reitoria UNEB 2013




Um dos motivos que me levou a apoiar José Bites de Carvalho e Carla Liane para a eleição da reitoria é por discordar veementemente com a relação que a atual administração da UNEB estabeleceu com os estudantes. 
Primeiro, o que sempre vemos nessa aproximação da reitoria-discente é um verdadeiro balcão de negócios, no qual você é logo questionado se tem boa relação com o DCE e de qual lado você está, e geralmente tem seu pedido atendido seguido pelo "conselho" de procurar A ou B. Segundo, eu sempre lutei pelos estudantes e vou sair da UNEB lutando por eles, por isso não podemos ter uma reitoria que atende as demandas estudantis com dois pesos e duas medidas, concedendo passagens e locação de ônibus a uns, e se negando a atender a demanda prioritaria que ela deveria assumir, que é garantir a nossa permanencia, enquanto estudantes, na Universidade, e aqui eu aproveito para lembrar que não podemos tolerar uma reitoria que vem desde de 2009, nos enrolando com a promessa da construção de um Restaurante Universitário, isso não é ter boa vontade (pra dizer o minímo). Terceiro, uma reitoria que é conivente com aluno recebendo dinheiro de projeto que nem sequer ele participa, não é de dar orgulho a nós, honestos e militantes, que perdemos tantos companheiros no caminho do curso, porque o ÚNICO beneficio que nós temos para se manter na universidade são bolsas que atrasam meses. Quarto, tenho muito orgulho de ser Unebiano. Desde 2009, esse ambiente, tem sido de intenso aprendizado e de uma riqueza pra minha formação enquanto profissional e ser humano imensuravel. Mas, fico envergonhado de ver o nome da nossa instituição em página policial de jornal, de ser questionado por amigos e familiares sobre o envolvimento da nossa Universidade, que tanto dou minha contribuição, envolvida em esquema de corrupção. Assim sendo, tudo o que eu luto e apoio, é justamente o que todos nós, que estamos cansados da mesmice e de promessas vazias, acreditamos, uma UNEB transparente, que preze pelo dialogo, que respeite a autonomia de cada um, que tenha consciencia e responsabilidade social e que acima de tudo tenha respeito por sua história e por sua grandeza.‪#‎PorumaUNEBmaisParticipativa‬

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

A Copa do Brasil, Suas Manifestações e Seus Desdobramentos (Ou Não!!)

Primeiro ponto, é evidente que apesar de todas as dificuldades, a copa dará certo dentro do que ela propõe, que é o entretenimento, isso porque é de nossa natureza abraçarmos os visitantes e querer fazer bonito para que eles voltem (é o jeito brasileiro de ser, e não iremos contra essa natureza). Segundo ponto, irão ocorrer muitas manifestações daqui para a frente, de pessoas querendo fazer algo para o país melhorar, e principalmente, dos direitistas de plantão e seus chegados querendo voltar a ter o controle do bolo (concentração da riqueza) em suas mãos (afinal as eleições serão às portas da copa, e o melhor marketing político será fazer a parceria com a rede globo para detonar o principal evento proposto pelo governo do PT, diga-se aqui, que eu tenho minhas muitas criticas). Terceiro ponto, concordo que dentro do que se poderia investir em termos de infraestrutura e mobilidade além de acordos financeiros para se constituir um legado para o Brasil, muito pouco foi feito, e o que ficará para nós após a copa será minimo, se comparado ao que a FIFA vai levar, e se os nossos governantes poderiam ter conseguido se tivessem direcionado os mesmos esforços em organizar a copa, para outras áreas de atuação. Quarto ponto, e esse eu acho fundamental, há bastante tempo nós temos acompanhado o abandono de nossa cidade e sendo cúmplices com isso - afinal, não faz muito tempo que reelegemos João Henrique para ele detonar com Salvador de vez -, além de vermos os serviços públicos (como a saúde e a educação) agonizando, em decorrência de investimentos insuficientes e sem um planejamento a longo prazo. Com a crise dos principais setores públicos e com o aumento da população não é de se surpreender que o resultado dessa mistura explosiva seria o caos que temos presenciado cotidianamente, sendo que: o desemprego, jovens mais perto das drogas, a inflação, aumento dos moradores de rua.. enfim, uma série de problemas que vemos acompanhando a décadas. Esse problemas não foram criado pela a copa do mundo e por isso digo que ela não é a vilã da nossa história. Aumenta o problema? Sim, contudo, ela é mais uma consequência de uma série de equívocos, assim como a corrupção, a falta de planejamento, a ausência de políticas públicas em determinadas áreas e a descontinuidade delas em outras. Dessa forma, estamos só vivendo a bomba relógio que armamos a muito tempo, e que até hoje, ao invés de a desarmarmos só temos procurado ganhar mais tempo para evitar que ela exploda de vez.
Precisamos rever que tipo de participantes políticos nós somos, que tipo de representantes queremos e elegemos, que tipo de sistema de governo é o melhor para nossa cidade e para nosso país.. E só aí, só após esse momento, lidando com a verdadeira causa de nossos problemas, poderemos erguer a cabeça e escolher que tipo de evento vamos querer organizar na nossa sociedade.

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Nossa Amizade - Um Caminho de Luz

Minha querida,

Estou aqui tentando cumprir essa tarefa hérculea que me foi passada. Não sei se serei capaz de conseguir lhe satisfazer com minha resposta, e nem sei se alguém, um dia, responderá à sua altura. Porque além de você ser uma pessoa que possui MUITAS QUALIDADES, termina em inúmeras vezes, se revelando de forma que engana aos olhos, e consegue estar SEMPRE SE REINVENTANDO.Quando te conheci não sabia muito bem o que esperar. Primeiramente, por ficar no seu canto, com um ar meio desconfiado, olhando pra todo mundo - com o tempo descobri que esse seu olhar seria constante na nossa relação, afinal se o mundo precisa de um pouco de mistério, porque a gente também não poderia ter (=P) -, pensei que você fosse uma daquelas meninas patricinhas que se achava.Entretanto, logo no nosso primeiro contato, ainda no dia de nossa chegada à Uneb, toda a minha primeira impressão sucumbiu. No momento em que com um pequeno gesto, você me acolheu e me PASSOU CONFIANÇA, ficou impossível não sentir algum CARINHO por você. Foi o início de um sentimento SINCERO - nossa AMIZADE.Ao longo da convivência de uneb fomos nos conhecendo de verdade, as RESISTÊNCIAS foram caindo e como uma rosa, você foi revelando toda sua BELEZA, deixando orgulhosa as mulheres de sua casa, afinal foram poucas pessoas que conheci na vida que demonstram tanto AMOR PELA FAMÍLIA.Por ser tão ligada a família, e também por SE PREOCUPAR COM OS OUTROS, você SEMPRE ESTEVE PRESENTE na vida dos seus amigos e como não poderia deixar de ser, na minha vida também - me dando forças nas ideias mais loucas, comemorando os momentos de vitória, segurando a onda nos momentos de tristeza.. e não podemos deixar de dizer, fazendo como ninguém a tarefa de cupido, que me valeu a mulher de minha vida, e seu lugar na família, não é mesmo minha madrinha (=D)?A uneb trouxe, ainda, tantos outros aprendizados.. Já lhe disse que sua PRATICIDADE, as vezes, me enlouquecia? Principalmente nas atividades em em equipe, muitas vezes pensava que não ia funcionar, e no fim dava um alivio e uma ALEGRIA por sempre dar tudo tão certo. E por falar em atividades, você terminou ganhando toda minha ADMIRAÇÃO, por acrescentar ao seu repertório, sua PREOCUPAÇÃO SOCIAL - seja por sua vontade em trabalhar com o Eja prisional ou pela sua preocupação com o meio ambiente.
Essa sua preocupação social, que te levou a encarar a jornada para cajazeiras rumo a Casa do Sol, além de revelar/evidenciar algumas características suas, também mostrou que quando vcoê quer algo, termina ENCONTRANDO UM JEITO PARA SUPERAR AS DIFICULDADES. Nunca disse isso para ninguém, mas aqueles estão entre os dias mais felizes de minha vida - pelo COMPANHEIRISMO que compartilhavamos no trabalho, pela PACIÊNCIA na espera do Narandiba, pelas RESENHAS no ponto, ao ver aflorar seu LADO MATERNO com as crianças (por mais que você negue, você será uma mãe maravilhosa), e por presenciar sua PERSISTÊNCIA em não desistir das crianças.  Ah, me desculpe por não realizar seu sonho de ir na Cidade de Plástico, espero que esse trechinho renove suas lembranças desse lugar tão sonhado:                           
"A Cidade de Plástico, assim denominada pelos moradores desse lugar, surge em um campo de futebol, que fica nas imediações de Cajazeiras VI, a partir da  necessidade de pessoas sem moradia e sem emprego encontrar/organizar seu próprio abrigo. Curioso é saber que, além do ESFORÇO PELA SOBREVIVÊNCIA, essas pessoas precisam ter endereço oficial para acessarem os serviços públicos oferecidos no bairro, pois frente às autoridades este lugar não existe! Se vão aos postos de saúde não são atendidos porque não têm endereço. Então, é como se fossem invisíveis? E aí Raimalda reflete que é nos lugares invisíveis que a Casa do Sol quer estar e está fazendo alguma coisa pelo próximo para que ele tenha dignidade."
Tudo isso passou tão rápido, mas foi tão SIGNIFICATIVO que eu não quero(ia) me separar de você, por isso, sua defesa/formatura, foi um momento tão conflituoso - se por um lado estava ALEGRE de te ver concluir essa etapa de sua vida, de outro fiquei muito triste, pois não iria ter você mais por perto no dia a dia.  Contudo, as vezes a vida nos reserva SURPRESAS INCRÍVEIS, e como um fio invisível conecta aqueles que estão destinados a encontrar-se, independentemente do tempo, lugar ou circunstância, o Suprof lhe trouxe para perto de mim novamente.
Tami, uma vez, você segurou em minhas mãos para que eu não fosse a lugar algum, eu tentei e continuo tentando deixar minhas mãos por perto, para que você sempre tenha um porto seguro - seja para te acolher nos momentos difíceis, seja para te abraçar nos momentos felizes, enfim... seja para o que você precisar. Conte comigo sempre.                             
"Se um rei tivesse uma PÉROLA INESTIMÁVEL. Uma joia que adorasse acima de tudo. Ele a guardaria num esconderijo. Tirando-a de vista.Temendo que outros a roubassem? Ou a exibiria, orgulhoso, engastada num anel ou numa coroa. De modo que o mundo lhe ADMIRASSE A BELEZA e visse A RIQUEZA que ela trazia à sua vida? Você é a minha pérola inestimável."
 Adoro você, minha queria amiga.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Trajetória Eleitoral do DEDC - Da Direção a Reitoria

Carla,

Pe. Luís Lintner acreditava que cada um nasce, cresce e labuta, e cada um tem que responder a um chamado e continuar a fazer e refazer a sua própria história. Nada nasce acabado. Cada geração tem a obrigação de viver sua própria experiência: a história, como diria Comblin, tem um caráter provisório e não dispensa ninguém de fazer e refazer o caminho. Não podemos ficar escravos das gerações anteriores e nem obrigar as gerações futuras a nos seguirem. Nossas tarefas serão sempre inacabadas e cabe a cada um de nós fazer sua parte, sabendo que nunca poderá completar sua obra...Como se o futuro tivesse se revelando, você chegou ao DEDC para atender a esse chamado. Com seu grande sorriso acolhedor, logo foi contagiando alunos, professores e funcionários. Na sala de aula, já causava um grande alvoroço, ao nos instigar sempre a termos um posicionamento crítico frente à sociedade. Precisamos registrar, ainda, sua preocupação com os rumos da Universidade, que naquele momento se encaminhava para um abismo quase sem fim. Dessa maneira, você começou a se aproximar do movimento estudantil e o movimento estudantil começou a se aproximar de você pela sua fala inebriante - na qual ao invés de tocar em nossas mentes, você atingia diretamente os nossos corações - pelo seu posicionamento firme, pelas ideias compartilhadas e, acima de tudo, pelo seu desejo de ver os estudantes num lugar de destaque na nossa UNEB, onde inúmeras vezes você se apequenou para que nossa grandeza pudesse ser revelada.
Você conquistou nosso respeito e a nossa admiração, e por isso tomamos para si a responsabilidade da sua candidatura para a eleição da direção do nosso Departamento. Acreditando que você não iria temer fazer escolhas difíceis para alcançarmos o ideal para o DEDC, nos coube levar adiante a chama da esperança que você acendeu em nossos corações.Enquanto diretora do Departamento de Educação, você honrou sua história e suas promessas, apostando em uma ideia de movimento. Com o lema “O DEDC NÃO PODE PARAR”, você ousou e deu espaço para que os funcionários e os estudantes se tornassem protagonistas nas discussões e deliberações acerca dos encaminhamentos do nosso dia-a-dia – seja no debate das propostas curriculares; seja no incentivo de pesquisas novas e antigas; seja no trato com todos que te cercam; seja no apoio de programas especiais; seja na parte administrativa, dando uma maior liberdade para os setores. Essa autonomia proporcionou, praticamente, a satisfação de quase todos os integrantes aqui de Educação, que protagonizaram cenas de grande comoção e eventos de maior sucesso, afinal o KIZOMBA chegou para ficar.Ainda enquanto diretora era nítido sua preocupação com todos, em especial com os residentes e os programas especiais, para os quais você fez de um tudo para que nunca faltasse nada. Esse seu lado solidário, de se importar com os outros, até mais do que consigo mesma (em muitos momentos), nos ajudou a eliminar qualquer medo ou insegurança que pudéssemos ter e nos deu força para enfrentar os obstáculos que encontramos ao longo dessa caminhada.
O Departamento não vive sozinho, ele faz parte de uma realidade chamada Universidade do Estado da Bahia... E mesmo com o protagonismo do DEDC, as coisas na nossa universidade não estavam nada fáceis. Entre um escândalo e outro, as articulações para a eleição de reitoria começaram a esquentar.Você conseguiu unir o tradicional com o moderno, a ternura com a força, a juventude com a experiência, e por meio do Fórum dos Diretores, você ofereceu a toda uma comunidade acadêmica fragilizada a possibilidade de mudança que há muito desejávamos. Agora tínhamos a chance de ter uma vice-reitora que nos representasse, e mais uma vez, você não recuou. Você seguiu em frente.Lembra-se da chama da esperança que você acendeu? Lembra-se do protagonismo no qual você apostava para os estudantes? Lembra que você representava uma comunidade acadêmica inteira? Pois é... Como um vulcão em erupção tudo isso explodiu nas eleições da reitoria, e como uma lava incandescente criamos o MUDA UNEB, era nossa vez de atender ao seu chamado. Às vezes, o melhor a fazermos é viver o presente, e naquele momento o presente era de luta, muita luta. Discutimos, lutamos, choramos, mas nunca deixamos de acreditar, nem em um minuto sequer, de que nós faríamos germinar a semente da esperança que você plantou lá atrás, e às vezes, basta ter esperança para superar qualquer coisa.
Essas superações aconteceram em alguns momentos em você desacreditou, em que você teve medo, mas sempre estávamos lá para te lembrar de que devíamos promover coragem onde há medo, promover o acordo onde existem conflitos e esperanças onde há desespero. Depois disso: ata, fanfarra, debates, votação... Nada conseguiu abalar nossa confiança na vitória. Sua vitória, nossa conquista.
Você, Carla, é uma encantadora de sonhos, é aquela que consegue deixar vivo nas pessoas o desejo profundo de mudança. Ser encantadora de sonhos é acreditar na transformação do outro, nas relações de igualdade, no potencial existente em cada ser humano; encantadora de sonhos é aquela que ajuda a fortalecer e alimentar desejos, possibilitando a cada um de nós sonhar o seu próprio sonho e o de tantas outras pessoas.Encantadora de sonhos é aquela que, como você, consegue sempre encontrar um lado doce na amargura.
Estaremos sempre juntos, independente de onde você esteja. Conte conosco nessa fase de consolidação e construção da mudança que queremos ver na nossa instituição. Você sempre irá nos representar.